Tuesday, October 24, 2006

Amanhã regresso

Olhou para a minha mão e disse “Tem mãos de homem, grossas e ásperas”. Não lhe liguei e continuei a olhar para o nada e a andar em frente. A cigana arrastou o seu manto para o outro lado da rua.
Fui pelo caminho evitando olhar para as mãos e ara as linhas da vida, da cabeça, etc. As mãos servem para trabalhar e pronto. A linha da vida é uma linha-férrea lá para o meio de marco de canaveses, enferrujada e lenta, que nos faz pensar na vida, no amanhã.
Passei lá de novo no dia seguinte e lá estava ela. Não me abordou, ficou a ao lhar para mim, ao longe, como se nos fossemos defrontar num duelo ao meio-dia. Não quero saber, por mais que o meu outro eu queira. A vida são miragens suspensas, pequenos oásis com um mini lago e eu fico a boiar na vida enquanto ela passa. Mais um dia, mais um olhar e, desta vez, troco de passeio de propósito. Ela atravessa a correr e grita-me “Espere”. Dou passos mais certos, mais largos; a vida mata-me a cada vida. Agarra-me o braço e franzo as sobrancelhas com força, o esoterismo é um desejo de desocultação e eu quero tudo oculto. “Vá à sua vida”, “Não, o que quero dizer-lhe é simples. Olhe para ali, está um homem no banco que vem vê-la passar a esta hora, todos os dias Não preciso ler a sua mão para ver isso”. Não tinha sotaque de cigana nem nada que se parecesse, só se vestia como tal. Olhei-a com cara de estúpida e a seguir para o tal homem que era bem-parecido. Agradeci e andei. Não ansiei pelo amanhã porque ele está sempre lá, mesmo que não seja para mim, ele está lá, por isso não vale a pena ansiá-lo.
Noutro dia, a cigana já não estava lá. E o homem estava lá sentado, igual ao dia anterior, sentado no banco com ar relaxado e um olhar pacífico. Escondi-me, ficando à espera a olhar para as minhas mãos de homem, e vi-o ir embora depois de eu passar. Amanhã regresso mais cedo para o ver chegar.

3 comments:

Anonymous said...

Apetece-me apregoar este blog por aí fora. Esta penumbra não lhe faz justiça. Não faz.

Aquiles said...

Gostei do que li até agora...Permite-me que coloque um atalho para o seu blog no meu?

PSEUDO said...

Caro Aquiles:
Apesar de nao dar a atenção que o meu blog merece, deixo isso ao seu critério. Claro que por mim pode divulgá-lo, tenho é pena de nao ter mais tempo...e logo acabar por desiludir muitas pessoas que aqui passam...
Obrigado pela sua atenção.
Patricia Araujo