Sunday, October 26, 2008

Carta de Lubango




Lubango, 26 de Outubro de 2008



Caros familiares e amigos/as:

Faz para a próxima semana, na quarta-feira, cinco semanas que estamos cá, em Lubango, Angola.
Vamos então fazer-vos um retrato fiel de como estamos e do que temos feito, porque já está na hora!
As fotos que aqui ilustram o “relatório” estão comprimidas e logo, se aumentarem muito, perdem qualidade, mas penso que dá para ver muita coisa! Além disso, penso que todas as fotos têm data!
Aproveito para pedir que reencaminhem este doc a alguém que por acaso não recebeu ou cujo envio tenha falhado (peço desculpa!)…
Não nos esquecemos de vós, mas realmente a logística aqui em Angola é difícil e ainda não temos algumas coisas, e logo não podemos contactar-vos com a frequência que gostaríamos!

Como já puderam reparar ainda não temos internet, ou só temos de quando em vez, porque uma colega nossa angolana, a Prof. Ana Paula Santos (que dá a disciplina de TCE-Técnicas de Comunicação e Expressão), mas que viveu em Portugal durante 20 anos até ao ano passado tem internet (fornecedor:Movicel, que pertence ao “estado” angolano, quase como a nossa PT) e o Dr. Édio Martins ((ver foto ao lado e reparem que já todos temos t-shirts com o logotipo da Universidade!!!),), nosso coordenador do Projecto aqui, também tem (fornecedor: Unitel, que é privada).
Aproveitamos para vos apresentar o resto da equipa (podem querer” goglá-los”!No Google, claro!).
A Maria João Cabaço Moniz Barreto é também nossa colega professora, na área do Marketing, e o nosso outro colega Rashid Berrad é professor de direito, em parceria com o Hermínio.
De resto, vivemos numa moradia espectacular (já do tempo colonial), na morada: Residência da Universidade Gregório Semedo, Bairro Santo António, zona 5 (não adianta mandar correio, pois não existe distribuição postal); a casa tem piscina, estava danificada e a UGS recuperou e pintou tudo! Ainda não temos espelhos na casa de banho, e de vez em quando aparecem umas baratas e outros bichos estranhos…mas é normal. Aqui na sala, tem uma divisória com a última ceia de Jesus Cristo (depois vêm fotos), e tem uma varanda a toda a volta. Não precisamos de ar condicionado, apesar do calor, está-se bem aqui. (A foto ilustra a entrada da nossa casa e os colegas Maria João e Rashid sentados à entrada!)

Além disso, não temos água directamente da rede, como quase toda a gente, mandamos vir cá uns camiões cisterna e temos duas grandes cisternas com água. A água quente é obtida através do cilindro que está no exterior, e nunca falta água quente! Ate queima! Ocasionalmente falta a luz, a certas horas do dia e, por vezes, ficamos parados, porque estamos totalmente dependentes dos Portáteis!
Ainda não temos televisão (é verdade, há um mês que não vemos TV!), mas estamos a estudar hipóteses de fornecimento de tv por cabo ou satélite.
De resto, temos um motorista e uma carrinha só para nós – chama-se Vado, e o pai é português (ele é mulato, e é muito simpático e paciente!).

Fotos: Eu a subir a uma árvore na serra da Leba e o Hermínio conquistador também na serra da Leba!)
Quando podemos vamos tomar um café ao Huila Café (podem pesquisar na net, mas qui fica uma pequena foto ao lado!) e ocasionalmente vamos ao Art-Doce, outro café. O café custa sempre 100 kwanzas que é aproximadamente um euro!

Em termos de supermercado, vamos a 3 principais: o Marivel que é perto da universidade, o Luege que é perto da nossa casa e o Nosso Super que é estatal e muito barato, porém fica afastado da cidade.
Todos os dias a nossa empregada, a D. Martinha, nos traz pão fresco a caminho daqui. Ela entra às 08h da manha e sai às 4h, mas fica sempre mais um pouco. Limpa a casa toda, lava, seca e passa a nossa roupa, e faz comida. Cozinha muito bem!
Já comemos feijão manteiga com óleo de palma e calulu de peixe (que leva peixe fresco e peixe seco, que é parecido com bacalhau, mas eles aqui secam vários tipos de peixe, por exemplo, hoje comemos carapau seco).
Tenho conseguido ocasionalmente fazer algumas refeições vegetarianas, e a única vez que me senti um pouco mal com comida até foi quando o Hermínio cozinhou um fantástico arroz de frango e eu comi imenso! (Demais, claro!)
Ao fim-de-semana não temos a D. Martinha e então cada um de nós vai cozinhando para os outros!
Quanto a passeios (Ver fotos acima), quando pudermos mandamos fotos, e se o Dr. Édio Martins for a Portugal pedimos para ele levar um CD e colocar no correio para vocês. Os correios aqui não funcionam bem, está tudo muito “internetizado”!!!
Já fomos à serra da Leba e à Tundavala, a tal famosa fenda gigante. Ao lado podem ver que o Hermínio já conseguiu matar umas saudades da guitarra, pois no Falcons bar convidaram-no a tocar…ele ainda vai dar o grande arranque do Jazz e Funk por aqui!
Abaixo seguem duas fotos de paisagens…talvez não tenha o impacto que esperavam, mas prometo que tentarei tirar mais pôr-do-sol africanos quando tiver tempo!



Hoje mesmo fomos ao Namibe ver as instalações da faculdade lá e comemos um camarão frito que podem ver na foto abaixo! Estava óptimo!



Seguem mais algumas fotos do Namibe, onde o Hermínio irá começar a dar aulas na próxima semana (eu, para já, apenas darei aulas no pólo do Lubango). Uma mostra os mamoeiros que existem à porta da casa dos professores no Namibe e outra é uma foto da avenida na marginal, ao pé do mar.


Quanto à universidade, o arranque custou um pouco, mas já está tudo altamente funcional. Na secretaria temos 3 colegas, que também são todos nossos alunos: a D.Alice, a chefe de secretaria (que também esteve em Portugal durante 30 anos até ao ano passado num serviço público), o Brás e o Joel, que são administrativos.
Quanto às aulas, têm corrido bem (ver fotos de alunos, aulas e entrada da universidade e da nossa carrinha!). No início receámos pelo nosso sotaque e pelo dos alunos, temendo que não nos percebêssemos uns aos outros! Porém, com o tempo, as aulas tornaram-se divertidas e emocionantes, pois nunca vimos pessoas tão motivadas e até desesperadas para aprender! Ficam tristes quando falha a luz e não podemos dar mais aulas. O Hermínio até já continuou a dar aulas às escuras! Estamos a conceber umas sebentas-resumo das matérias, pois ainda não há biblioteca na universidade, e isso é que tem sido mais cansativo (o meu mestrado ficou em stand-by!).
Temos muitos alunos e alunas da Policia, militares, políticos, funcionários públicos, etc.!
Eu tenho apoiado também na parte pedagógica o Dr. Édio a ajudar a conceber os horários, esclarecer duvidas a alunos e professores, elaborar o calendário de exames e frequências, etc. A primeira frequência é já dia 01 de Novembro!
De resto, como já imaginavam, as coisas são realmente caras.
(ver foto de uma nota de 1000kwanza ao lado, o que são no fundo, cerca de 10 euros! Ah…aqui, não há moedas, ou melhor, há poucas e não circulam! Portanto há dias que tenho a carteira cheia de notas de 5, 10 kwanzas, o que representa na realidade 5 ou 10 cêntimos e nem dá para comprar um rebuçado!).
Um pacote de 500g de manteiga custa à volta de 5 euros (500 Kwanzas) e um pacote de leite custa 2 euros. As coca-colas e outros refrigerantes são muito baratos porque há cá uma fábrica desde os tempos coloniais. Cada coca-cola ou cerveja custa á volta de 50 cêntimos (ou seja aprox. 50 Kwanzas)!!! (1 euros são aproximadamente 103 kwanzas).
Outras Coisas baratas: o tabaco custa entre 50 cêntimos e um euro, o feijão e o arroz também são baratos, e a fuba (farinha de milho) , com que fazemos o pirão (ou funge), que acaba por ser uma espécie de puré também é muito barata!
Há quatro cervejas angolanas: a Cuca, a N’Gola, a Eka e a Nocal. Ainda só provamos as duas primeiras, e aqui no Lubango é que é fabricada a N’Gola, por isso é a que há mais e é muito boa!
As marcas de Café de cá também são muito boas, há o Ginga café, café “O pensador”, etc. Depois levamos para vocês provarem!
Algumas frutas que há por cá: o Mirangolo (que dá um doce para barrar o pão muito bom), a Amarula (que dá um licor espectacular), a papaia/Mamão (que temos à borla no nosso quintal), o abacate, a manga, o abacaxi (cá não há ananás!), etc.
Quanto à vida em Angola, como já sabiam, há muitas pessoas que não trabalham. O valor do trabalho aqui não é o mesmo para os europeus ainda. Podemos chamar desemprego ou não-emprego, mas o facto é que muitos não têm emprego, mas têm trabalhos, ou como nós dizemos têm “business”! Muitas pessoas que não têm emprego tem um Business, e algumas têm emprego e Business em paralelo! Não se vê fome, vemos e sentimos alguma pobreza material, mas eles e elas vendem de tudo na rua, coisas do campo, carregadores de telemóveis, fruta, legumes, galinhas, etc. Vamos dando de vez em quando uns pacotes de bolacha, pão, etc., mas as pessoas aqui parecem mais felizes.
Em termos de clima, não sei bem as temperaturas, mas há duas estações no ano: a época das chuvas de Outubro a Maio, e a época da seca, de Maio a Outubro. Já choveu bastante, blocos de gelo imensos durante 1 hora, e há vários dias que não chove. Mesmo quando chove apetece ir para a rua.
Quanto às nossas expectativas, acho que só quando recebermos o primeiro salário, começarmos a fazer mais contactos e a ter liberdade de movimentos é que podemos realmente avaliar a nossa situação.
O projecto parece estar consolidado aqui no Lubango, mas as aulas ainda não arrancaram no Namibe por dificuldades logísticas (ainda não temos 2 carrinhas e dois motoristas, pois o Namibe fica a 180 km daqui, no litoral).

Mesmo assim não sabemos como as coisas vão correr, porque parece que o Dr. Edio vai arrancar com outros projectos da Universidade e temos algum receio de como ficarão as hierarquias por aqui…

Eu tenho saudade de muitas coisas em Portugal, de tomar café com a minha mãe, com a Rosina e com o pessoal, dos jantares ou almoços em família, de adormecer no sofá enrolada na minha gata, da chuva e dos agasalhos, da Tv cabo, de passear pela beira rio de Fão, etc…Mas é bom saber que, mais tarde ou mais cedo, tudo isso estará aí à minha espera!

Está a ser uma experiência fantástica, com todas as dificuldades de um arranque inovador, mas muito gratificante…no entanto, por mim, continuo com Portugal no Coração…vamos lá ver se com o melhorar das coisas, com mais tempo de lazer, praias etc, Angola me convence mais!

Um grande abraço a Todos e até breve! O voo está marcado para dia 13 de Dezembro!

(PS.Lamento mas tive de anexar asw fotos todas seguidas...ao invés de intercaladas nos sitios certos dos textos!)












6 comments:

pinguim said...

espero que esteja tudo a correr bem, beijinhos e quando chegarem se quiserem digam alguma coisa

septuagenário said...

Adrenalina é indispensável para não morrermos asfixiados.

Quem passe pelas curvas da estrada da Leba (lacetes), deve imaginar a adrenalina que sentiu, quem projectou esses lacetes e quem os executou.

As fotos respiram adrenalina.

Anonymous said...

Já andava a pensar em ti há algum tempo... nem tinha a certeza se tinhas embarcado nessa aventura... como nunca mais falamos!... Gostei de ler as novidades, e espero que estejas a aproveitar bem tudo o que África tem para oferecer! Beijo grande e vai dando notícias.
Julieta

Zé Kahango said...

Saudações de um blogueiro amigo de Angola!

Anonymous said...

Sweet web site, I hadn’t come across blog.angelsfromabroad.com before in my searches!Carry on the fantastic work!

Anonymous said...

О! لدينا قليلا من صعوبة في الاشتراك في آر إس إس ، وعلى أي حال لقد تميز الكتاب في هذا الموقع العظيم ، ومفيدة للغاية بالاضافة الى مليئة المعلومات.